sexta-feira, 22 de abril de 2016

Ratatouille à minha moda







Originária da Provença, a receita ratatouille é um dos clássicos da cozinha francesa, e um excelente exemplo da comida mediterrânica, baseada em legumes ficando cheio de cores alegres.

Esta receita dá para ser feita com legumes ás rodelas, eu  pessoalmente prefiro cortado aos cubos. 

Já experimentei ás rodelas, mas depois de ter experimentando esta receita, numa entrada num jantar em casa de uma amiga, fiquei maravilhada, aos cubos fica muito mais saboroso, mas claro esta receita era muito mais saborosa pois usava um ingrediente secreto :)

Mais incrível que pareça todas as pessoas adoraram esta entrada saudável, e comeram com tanta satisfação como se fosse um patê (o tradicional calórico, cheio de maionese :=)

Só demonstra que a comida saudável é muito saborosa, basta para tal arriscarmos a usarmos os legumes variados e acertar no tempero especial :)

Nesta receita o segredo era nada mais nada menos que a Mistura da Margão - Segredos do Mundo do México, uma mistura deliciosa à base de pimentão doce e cominhos.

Eu não fiz esta receita como entrada, mas sim como um acompanhamento.
É um excelente acompanhamento, para acompanhar com filetes de peixe ou com carne picada.....




Interessante:
O Continente promove 4 frescos por mês! Este mês é o morango, kiwi, bróculos e vitelão.
O vitelão é uma excelente fonte de proteína para acompanhar com estes legumes que aqui estão.



Ingredientes (Para 5 a 7 Refeições)

beringela (200g)
1 saco de mistura de pimentos verde, vermelho e amarelo (uso uma mistura que custa 0,69€ no Jumbo)
(Na preparação da bimby apenas adicionar 100g da mistura de pimentos)
1 courgette (300g)
1 cebola
2 dentes de alho
azeite
segredos do mundo do México (Margão)
pimenta  (Margão)
Confecção Tradicional

  1. Lave a courgette e a beringela, e  com a ajuda da mandolina cortar em cubos pequenos. 
  2. Numa frigideira anti-aderente refogue no azeite a cebola e os alhos até ficar transparentes.
  3. Depois junte a mistura de pimentos e deixe por mais 5 minutos ou até estar totalmente cozinhados. Seguidamente acrescente a courgette e a beringela, sal, pimenta, e a mistura de segredos do mundo do México.
  4. Deixe a  cozinhar tudo em lume lento durante 10 minutos, tapado, para  assim, os alimentos acabarem de cozer no seu próprio vapor. Este processo é importante, porque ao tapar, os alimentos cozem-se no próprio vapor que liberam, sem necessidade de adicionar mais gordura.

Confecção Bimby
  1. Colocar no copo a cebola e o alho e pique 7 seg / vel. 4. 
  2. Adicionar o azeite e refogar 5 min / Velocidade inversa / 120°C / Colher de pau.
  3. Entretanto lavar e cortar as courgetes e as beringelas com a ajuda da mandolina cortar em cubos pequenos.
  4. Depois adicionar os pimentos, as beringelas e as courgettes, temperar com o sal, e a mistura de segredos do mundo do México e a pimenta: 15 min / 100°C / Velocidade inversa / Colher de pau. Se necessário colocar mais 5 min.
Sugestão:
Eu não coloquei, mas podem colocar tomate maduro (200g +ou - ), fica muito bom também.
No caso de adicionar o tomate na forma tradicional ele é colocado a seguir ao ponto 2, deixando cozinhar o tomate por 7 minutos e só depois passa para o ponto 3.
Caso faça na bimby o tomate é adicionado a seguir ao ponto 2. Coloca o tomate 5 min / Velocidade inversa / 120°C / Colher de pau, e só depois passa para o ponto 3 onde se adiciona os legumes.

Utensílios
Mandolina (Borner)
Frigideira aço inoxidável  (Pyrex)
Tábua (Gradirripas)

segunda-feira, 28 de março de 2016

Workshop Receitas Práticas e Saudáveis

E finalmente chegou o dia!

O dia que eu irei realizar pela primeira vez um Workshop de Receitas Práticas e Saudáveis.


Dia 7 de Maio o espaço Teka vai receber as bloggers Mafalda Almeida do blogue (Loveat) e eu :), com 2 Workshops de cozinha sobre receitas Práticas e Saudáveis. 



Poderá vir ao turno da manhã às 10h30 que irá terminar ás 13:30 ou ao turno na tarde às 15h que irá terminar as 18:00h.

O modelo de workshop será live cooking onde todos os participantes poderão cozinhar e tirar dúvidas.
PVP: 25€

Para mais informações contacte-nos através de mensagem privada para prazeressaudaveis@gmail.com ou em contact@loveat.pt

As vagas são limitadas!
Venha por as mãos na massa e preparar-se para o verão!




sexta-feira, 4 de março de 2016

Guest Post|Entrevista com a Drª Mafalda Almeida

Quando recebi o convite da Drª Mafalda Almeida autora do excelente blogue Loveat para participar num dos posts do blogue, no qual é chamado "guest post", aceitei logo. Não poderia ficar mais feliz poder ter o prazer de mais uma vez partilhar um pouco de mim, mas desta vez a partilha seria muito diferente, pois não seria uma receita...
Este Guest post é feito com perguntas ligadas a mim, perguntas sobre o meu emagrecimento,gostos na culinária etc... :)
Adorei esta entrevista, poder partilhar um pouco de mim com vocês é simplesmente algo que me enche o coração


Quem quiser ver a entrevista pode ver aqui.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Curgete com Ovos e Tomilho


Acompanhamentos saudáveis é daquelas receitas que antigamente me dava cabo da cabeça.....

Saladas, legumes cozidos ou salteados..... até que me fartei e comecei a inventar. Na minha opinião as receitas que fazemos, são simplesmente o que nós queremos que elas sejam :)

Esta receita é mesmo isso podia-lhe chamar a esta receita, tarte de curgete, quiche de curgete... mas iria dar um nome ao qual não quero que a mesma seja.
Então assim sendo, esta receita é nada mais nada menos que curgete no forno com ovos.!

Fiz esta receita para ser um dos acompanhamentos na semana, neste caso serviu para ser um acompanhamento com carne recheada  no forno, mas podem servir de acompanhamento com a refeição que acharem melhor.

Podemos também servi-la assim simples, como já tem ovos (proteína), já é uma refeição praticamente completa. :)




Ingredientes (Para 4/5 Refeições)
2 curgettes pequenas
4 ovos xl
1 iogurte natural
Tomilho (margão)
sal (marnoto)
queijo ralado mozzarela magro


Confecção
  1. Laminar as curgettes com a mandolina e colocar numa travessa
  2. Bater os ovos com o iogurte e temperar com sal e pimenta
  3. Juntar a curgete num tabuleiro  fechado ou pirex e polvilhar com tomilho
  4. Juntar a mistura dos ovos com o iogurte
  5. Por fim juntar o queijo e polvilhar com tomilho.
  6. Levar ao forno até a curgete estar cozinhada.

Utensílios
Cortador de Legumes (Borner)



sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

Gorduras Animais ou Vegetais? Quais as melhores gorduras a consumir nos seus cozinhados?

Fonte: Dr.ª Mafalda Rodrigues de Almeida
Blogue: http://www.loveat.pt


Com a variedade de óleos disponíveis hoje em dia, muitas são as pessoas que se questionam sobre as suas propriedades e diferenças relativamente às típicas gorduras animais, manteiga e banha. Se alguns têm dado lugar de destaque à margarina, outros questionam-se sobre o seu processamento e teor em gorduras trans. Mas afinal quais são as principais diferenças?

As Gorduras vegetais provêm da extração dos óleos de sementes ou frutos como a azeitona, os grãos de soja, os amendoins ou as nozes de palma. 

De uma forma geral os óleos mais puros são os de primeira pressão a frio que não são submetidos a temperaturas elevadas. São 100% constituídos por gordura, o que faz com que apresentem 9Kcal por grama e mantêm-se líquidos mesmo a temperaturas baixas, exceto algumas exceções como é o caso do óleo de coco que se mantém sólido até aos 25ºC.

De uma forma geral os óleos vegetais contêm maioritariamente ácidos gordos insaturados sob duas formas: 1) monoinsaturados (ex: ácido oleico presente no azeite), 2) polinsaturados (ex:ácido linoleico e ácido linolénico, presentes sobretudo nos óleos de sementes e frutos secos). É também nos óleos vegetais que se encontram vitaminas lipossolúveis, A, D e E com propriedades antioxidantes e que auxiliam ao correto metabolismo das gorduras pelo nosso organismo. Devido a esta composição os óleos vegetais estão frequentemente relacionados com efeitos cardio e neuroprotetores, sobretudo aqueles que são mais ricos em ácidos gordos ómega 3.

Apesar de os óleos vegetais terem estas propriedades é importante lembrar que nem todos são 
adequados para cozinhar. 


Para cozinhar a elevadas temperaturas (ex: fritar alimentos ou fazer assados) deverá escolher óleos como:

|Amêndoa|Abacate|Avelã|Semente de girassol|Azeite extra virgem|Canola|Amendoim

Para cozinhar a temperaturas médias (ex: refogados ou estufados) poderá usar óleos como:
|Milho|Cânhamo|Sésamo|Soja |Coco
Apenas para temperar alimentos, quentes ou frios, sem sujeitar a temperaturas elevadas deverá escolher óleos de:

|Linhaç|Gérmen de trigo
Para usar nos  bolos deverá escolher óleos de:
|Azeite|Óleo de coco|Óleo de amendoim|Óleo de sésamo

Uso a mesma quantidade de uma destas gorduras que usaria de manteiga ou margarina (dependendo do que leva a receita). Estes óleos são mais saudáveis, deixam os bolos mais fofos e fazem com que eles durem mais tempo. 
Se quiser reduzir nas calorias uso polpa de fruta ou de legumes para dar sabor e reduzo a gordura para metade. Ex: bolo de cenoura (2 cenouras raladas + 100ml de azeite)


Por outro lado, a gordura animal (queijo, manteiga, banha, etc..), com má reputação desde há uns anos para cá, é a gordura que envolve as camadas musculares e os ossos dos animais. Geralmente é mais rica em ácidos gordos saturados do que insaturados e é sólida à temperatura ambiente, com uma cor esbranquiçada. Gorduras como a de ganso aguentam, geralmente, temperaturas mais elevadas, no entanto, os óleos vegetais conseguem aguentar pontos de temperatura mais elevados e são, por essa razão, mais adequados para fritar ou assar acima dos 150ºC.

Os ácidos gordos saturados, mais presentes na gordura de origem animal estão, muitas vezes  associados ao incorreto metabolismo das gorduras e ao aumento dos níveis séricos de 
colesterol. Por essa razão, muitos estudos apontam para uma maior relação entre a gordura 
animal e o risco de doenças cardiovasculares.


É preciso denotar também que, de uma forma geral a gordura animal é consumida em alimentos muito ricos em sódio que, por si só, é um fator de risco para o desenvolvimento de patologias cardiovasculares. É importante saber escolher as gorduras animais mais saudáveis como é o caso da gordura de peixe rica em ácidos gordos ómega 3 com funções anti-inflamatórias e antioxidantes, e da gordura do ovo rica em beta-caroteno que é um percursor da formação de vitamina A, tão importante para o desenvolvimento dos sistemas ocular, nervoso e imunitário.

Existe ainda um outro grupo de gorduras bastante controverso, o das gorduras Trans. Estas são geralmente gorduras vegetais hidrogenadas e processadas que são largamente usadas na indústria alimentar para reforçar o sabor dos alimentos, aumentar o tempo de conservação dos mesmos, estabilizar a textura ou torna-los mais crocantes. No entanto, diversos estudos têm provado que as gorduras trans alteram o metabolismo lipídico e são responsáveis por um aumento considerável dos níveis de colesterol total sobretudo de colesterol LDL. Estão, por essa razão associadas a um elevado risco de desenvolvimento de patologias cardiovasculares e alguns países como os EUA obrigaram mesmo os produtores alimentares a retirarem este tipo de gorduras do mercado. De uma forma geral, tenha atenção aos seguintes alimentos 
industrializados pois são aqueles onde mais se encontram gorduras trans: salgados, pizzas, picocas, margarina, molhos, bolos e bolachas.

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

Tarte de Maça S/ Açúcar e Gordura


Este é o primeiro post que público de "Receita", desde que iniciamos este novo ano.

Neste novo ano decidi , partilhar mais artigos sobre nutrição. Quero que o blogue seja uma página não só de receitas onde podem criar um estilo de vida que vos ajude a sentir melhor, com mais vitalidade e energia, 
como também quero poder partilhar  informações que acho que sejam importantes sabermos, para poder conjugar aos hábitos alimentares saudáveis que já temos.



Neste aspeto no que se refere à informação mais especifica sobre nutrição :), irei ter o apoio de uma pessoa especializada na área para nos poder ajudar nestes aspetos. Essa ajuda está a ser dada pela Dr.ª Mafalda Almeida do blogue Loveat.


E agora deixando as novidades :), esta Tarte, surgiu depois de ter 5 maçãs já muito maduras em casa, mandar fora nunca!
Portanto resolvi aventurar -me e esta aventura correu muito bem. 
Como diz a minha querida Mãe, nada se estraga, tudo se transforma!
Ficou deliciosa, será uma receita para repetir, muitas mais vezes.




Ingredientes
4 ovos L
1 banana
5 maçãs para o recheio
1 maçã (cobertura)
80g de fécula de batata (podem usar também farelo de aveia)
1 iogurte natural
1c. café de fermento em pó
Agave q.b (iswari)
1c. café canela em pó (margão)

Confecção Bimby
  1. Laminar com a mandolina a maçã as rodelas. Reservar.
  2. Bater as 5 maçãs, banana, iogurte e os ovos 2mint na vel 8.
  3. Juntar a fécula de batata e o fermento e mexer durante mais 2mint na vel 2.
  4. Untar uma forma de tarte com manteiga e forrar com papel vegetal.
  5. Colocar o recheio na tarte, e colocar por cima a maçã ás rodelas laminadas. Por fim polvilhar com canela.
  6. Levar ao forno a 180º durante 20 mint ou até a massa estiver cozida.
  7. No final pincelar com agave ou mel.

Confecção Tradicional
  1. Laminar com a mandolina a maçã as rodelas. Reservar.
  2. Numa liquidificadora, colocar as 5 maçãs, banana, iogurte e os ovos e bater na velocidade máxima.
  3. Á parte, envolver com uma colher de pau a fécula de batata e o fermento .
  4. Untar uma forma de tarte com manteiga e forrar com papel vegetal.
  5. Colocar o recheio na tarte, e colocar por cima a maçã ás rodelas laminadas. Por fim polvilhar com canela.
  6. Levar ao forno a 180º durante 20 mint ou até a massa estar cozida.
  7. No final pincelar com agave ou mel.
Observações:
A tarte como leva uma farinha sem glúten que não tem fermento, fica muito baixinha, aconselho no final antes de cortar, deixar ficar fria por completo, de modo a não se desfazer :)






sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Afinal o Pão engorda ou não?

Fonte: Dr.ª Mafalda Rodrigues de Almeida
Blogue: http://www.loveat.pt


Recentemente após o artigo das bolachas que publiquei, recebi um pedido de um seguidor aqui no blogue onde me pedia para colocar um artigo sobre o pão, qual o melhor pão que devemos consumir? o pão engorda? o que devo colocar no mesmo....
Eu adoro pão, e acredito que tal como eu vocês também adoram pão! Não à nada que me saiba tão bem como pão e a vocês?
Neste sentido, pedi a colaboração da Drª Mafalda Almeida, do blog Loveat, para deixar-vos aqui as informações que acho que todos nós queremos saber :)



O pão tem a má fama de engordar para quem quer fazer um regime de perda de peso. Mas eu, pelo contrário, acredito que o pão é um alimento extremamente rico e que pode ser um aliado para qualquer regime de alimentação saudável, apenas precisamos de o saber escolher. 
Para quem se preocupa com as calorias, de uma forma geral, o pão de trigo integral é o menos calórico e dos mais ricos em fibras:

As Kcal apresentadas de seguida são sempre por 100g!
  • Croissant folhado: 406Kcal
  • Croissant Brioche: 350Kcal
  • Pão de Trigo (mais comum): 289Kcal
  • Pão de Mistura (trigo+centeio): 270Kcal
  • Pão de Centeio: 263Kcal
  • Pão de Leite: 247Kcal
  • Pão Integral com sementes de sésamo: 244Kcal
  • Pão de trigo integral: 223Kcal

Mas, eu acredito que o pão não se deve medir pelas calorias, mas sim, pelas nossas necessidades.
Um pão integral ou de mistura tem por norma 8 a 10% de proteína. Quanto maior for este valor maior vai ser a sensação de saciedade ao longo da digestão o que nos permite comer menos vezes ao dia e ter um apetite mais controlado. Além disso se a quantidade de proteína for maior, geralmente a quantidade de hidratos de carbono é menor o que significa que existe menos estimulo para a produção de insulina, tornando o pão mais saudável para diabéticos.

O facto de hoje termos pães de boa qualidade com um teor de sal inferior a 1,4g /100g (valor imposto pela lei) torna animadora a perspetiva de que as pessoas que sofrem de hipertensão poderão apreciar também este género de pães sem comprometerem a sua saúde. Este dado é também ótimo para pessoas que fazem retenção de líquidos e que devem evitar, sempre que possível, alimentos com demasiado sal.

Já temos também muita oferta no mercado de pães com misturas de farinhas integrais e sementes o que é excelente para promover a saúde cardiovascular, controlar o colesterol, melhorar o funcionamento do sistema digestivo e estimular a produção de serotonina (hormona do bem estar) e das transmissões nervosas. Pães com sementes são geralmente mais ricos em ácidos gordos ómega 3, que estão presentes em quantidades consideráveis na alimentação das populações mais saudáveis do mundo (Japão, Suécia, Nova Zelândia , Finlândia – peixe; Okinawa – algas marinhas; Sardenha – azeite, azeitonas e feijões). 

Apesar de as fibras serem extremamente importantes na nossa alimentação, não nos podemos esquecer que elas são hidratos de carbono indigeríveis, ou seja, que não são quebrados no nosso estômago e que acabam por passar para o intestino para formar o bolo fecal. O que acontece nas pessoas mais suscetíveis que consomem demasiadas fibras é, geralmente, uma sensação de barriga inchada. Por isso, se formos sensíveis e notarmos que esse fenómeno nos acontece devemos procurar consumir pães que tenham um bom equilíbrio entre hidratos de carbono digeríveis e não digeríveis.

É importante lembrarmo-nos de que o pão deve ser evitado às refeições principais a não ser que a nossa refeição seja uma sandes. Isto porque, geralmente, já temos um aporte suficiente de hidratos de carbono se comermos, arroz, batata, massa, etc… Para um equilíbrio perfeito devemos consumi-lo apenas a duas refeições intermédias, caso estejamos num regime de manutenção de peso, ou somente numa refeição (preferencialmente ao pequeno-almoço), caso estejamos num regime de perda de peso.

Além disso devemos saber complementar cada tipo de pão que consumimos. A manteiga, por exemplo, não acrescenta valor nutricional de interesse ao pão. Se queremos obter numa só refeição, um equilíbrio perfeito de nutrientes, devemos optar por acompanhamentos como:
  • Para o pão de mistura um acompanhamento com maior teor de proteína, para conferir mais saciedade: Ex: queijo fresco, queijo para barrar, creme vegetal de tofu para barrar, fiambre de peru ou ovo cozido;
  • Para um pão com sementes, que tem maior teor de gorduras, usar um acompanhamento menos calórico e baixo em gorduras, por exemplo compotas sem adição de açúcar;
  • Para um pão integral é importante conferir maior riqueza em gorduras saudáveis e usar acompanhamentos como: manteiga de amêndoa/amendoim/sementes de sésamo sem adição de açúcar, pera abacate, creme de coco ou de ervas para barrar.

No que toca às marcas de pão, pessoalmente sou muito exigente. Gosto de comer pães o mais naturais possíveis, que não recorram a conservantes químicos nem aromatizantes (aqueles ingredientes que vemos nos rótulos começados por E e seguidos de um número). Por isso, o meu local preferencial de compra são padarias onde o pão é caseiro e nem sequer está embalado. 

Quando procuro um pão que me dure, por exemplo, uma semana para que não tenha que comprar tantas vezes, opto sempre pela marca BOMPÃO que dura 5 dias, não usa conservantes químicos e tem um pão delicioso feito com 9 cereais e sementes .



Se só consegue comprar o pão em grandes superfícies procure pães com poucos “E…” e que tenham um baixo teor de gordura e de açúcares. 

Caso tenha oportunidade faça preferência a fazero seu própio pão em casa! Existem muitas receitas que podem fazer em casa, e neste caso teremos a certeza que não existem quimicos alguns nem gorduras ou açucares.

Mantenha-se afastado dos pães brancos preferindo pães de mistura ou de farinhas integrais e tente que o pão tenha um teor de sal baixo (menos de 1.4g por 100g). Se é fã de broa, como eu, opte pela variedade de avintes que é a que tem farinhas mais escuras e saudáveis que lhe permitem manter a saciedade por mais tempo.

Em baixo deixo algumas sugestões de receitas com vários recheios que podem fazer, algumas receitas são da Drª Mafalda Almeida outras já devem conhecer pois são minhas :)

Sandes de Pepino com Requeijão e Ervas
Pão Proteico com queijo mozzarela e tomate
Fatia Dourada de Kiwi
Crostinis 
Sandes de Peru com Pesto e Tomate
Ninhos de Cogumelos
Sandes de Frango com Cogumelos e Abacate